Hoje é um Bom Dia


Acho que não expliquei que tava de viagem, né? Então, tou indo com a namorada – que a essa altura já é uma espécie de noiva não-oficial – visitar familiares (dela) em Ontario.

Então aqui estou, com o notepad aberto a algumas dezenas de milhares de pés de altura. Lá embaixo está o Canadá, um país que supostamente adotou o sistema métrico mas que ainda usa pés pra medir alturas. Ao meu lado, a namorada, que morre de pavor de viagem aérea e já deu umas choradinhas até. As marcas de unha dela no meu braço foram um lembrete de que eu não devo mais sentar do lado dela durante a decolagem. À minha frente, um filho da puta que reclinou a cadeira e reduziu o espaço já minúsculo que aquela bandeijinha na parte posterior das cadeiras oferece; meu laptop está tocando minha barriga e eu digitando estou parecendo um tiranossauro, com os cotovelos encostando na cintura. O que eles não te dizem a respeito da “classe econômica” é que a compania aérea é que parece que tentou economizar no espaço. Atrás de mim, uma garota que eu encarei durante todo o tempo que esperamos no salão de embarque porque eu tenho quase certeza ABSOLUTA que já a vi num daqueles vídeos bastante pornográficos em que uma moça de família realiza ações sexuais com diversos sujeitos simultaneamente, por uma quantia não divulgada mas provavelmente bem pequena de dinheiro e/ou crack.

Como estarei muito ocupado fazendo porra nenhuma do outro lado do país, eu provavelmente não terei muito tempo ou disposição pra atualizar esse espaço virtual aqui com aquelas historinhas pessoais que vocês adoram. Entretanto, eu vou manter uma espécie de diarinho de viagem, com algumas fotografias com legendas sarcásticas e observações diárias a respeito de detalhes irrelevantes.

Ah, sim. Comentei que estou prestes a alugar um apartamentim com o irmão e a mulé? Então, contei agora. Já tou muito velhinho pra continuar dividindo teto com meu pai, e agora que eu descolei um emprego que rende uma verba de respeito então estamos juntando nossos trapos e cuecas e aquário e videogames pra pôr os pés na nova habitação. Já fomos averiguar alguns locais; a primeira casa era horrivelmente deprimente e se localizava num bairro que, pasmem, me lembrava o Brasil de tão pútrido e fodido. Já a segunda residência era bem arrumadinha, e ficava literalmente atrás do maior shopping da região (tipo, atravessa a rua e já tá na calçada de casa), mas em contrapartida o lugar é minúsculo. Procê ter uma noção, a cama do meu irmão não caberia no quarto que seria o dele.

Finalmente achamos um local que se encaixa mais nas nossas necessidades. O aluguel é levemente mais caro, mas sobra espaço, há uma varandinha bacana ligada ao meu quarto, mó luxo. Vai acabar sendo esse mesmo. Assim que eu tiver a grana requerida pra comprar sofá, cama e TV nova, tamos lá.

setembro 17, 2007 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário